Vimos no outro artigo o por quê de abrir uma loja virtual. Neste artigo de hoje, veremos os importantes passos para começar a transformar essa ideia em realidade de forma rentável.

Para iniciar sua loja virtual você precisará:

  1. Decidir o tipo de loja virtual que vai querer
  2. Escolher o modelo de negócio para sua loja virtual
  3. Domínio de internet e provedor/servidor
  4. Meio de pagamento integrado
  5. Plataforma para sua loja virtual
  6. Capital inicial para investimento em tecnologia e produtos ou serviços
  7. Embalagens e método de envio para seus produtos

 

Tipos de e-commerce e loja virtual

B2B – Business to business (empresa para empresa). É o tipo de comércio eletrônico focado principalmente em vender produtos e serviços da sua empresa para outras empresas.

 

B2C – Business to consumer (empresa para consumidor). Esse tipo de comércio eletrônico tem seu foco primordial na venda de produtos e de serviços da sua empresa para o consumidor final.

 

C2C – Consumer to consumer (consumidor para consumidor). Isso não é um e-commerce, mas sim uma plataforma que permite que as pessoas tenham sua própria loja virtual para vender de pessoa física diretamente para outra pessoa física. Alguns bons exemplos disso são: OLX, Mercado Livre, Amazon, eBay, entre outros.

 

C2B – Consumer to business (consumidor para empresas). Esse formato geralmente representa serviços que são vendidos diretamente de pessoa física para empresas. Podem ser serviços de design, arquitetura, advocatícios, encanador, eletricista e outros. Uma plataforma que pode fazer isso, por exemplo, é o GetNinjas.

 

Modelos de negócio para a sua “Loja virtual”

Total

Esse modelo não tem um nome definido, porém podemos chamá-lo de “total”. Nesse modelo de negócios, você compra os produtos que deseja vender, estoca, vende em sua loja virtual, recebe o pagamento, e faz o envio e entrega do produto.

 

Drop Shipping (“envio direto”)

Nesse modelo, você seleciona e negocia produtos de terceiros ou fornecedores, vende em sua loja virtual, recebe o pagamento e, em caso de venda, você comunica o terceiro ou fornecedor e ele mesmo faz o envio diretamente para a casa do cliente. Dessa forma, você reduz seus custos de armazenamento, o que permite a criação de um negócio como este com muito menos investimento.

 

Drop surfing (“surfe direto”)

Nesse último modelo você tem as mesmas vantagens do drop shipping e mais uma vantagem essencial: não depender exclusivamente de fornecedores. Aqui, você não precisa combinar ou negociar com os terceiros. Dependendo da sua escolha, a própria loja virtual permite que você apenas selecione produtos de diferentes fabricantes e fornecedores por exemplo de diversas fábricas chinesas, por exemplo, e os inclua na sua lista de produtos sem mesmo eles saberem. Ao realizar uma venda, seu sistema já compra o produto na loja virtual do fornecedor automaticamente e pede o envio diretamente para o seu cliente. Também é vantagem quando o preço do produto que você está vendendo sobe, pois o sistema busca o mesmo produto em outras lojas virtuais com preços mais baixos dependendo do sistema da loja virtual que você utilizar.

 

Domínio de internet e provedor / servidor

Domínio é o endereço da sua loja virtual. Por exemplo www.LojaNaka.com.br ou até www.mercadolivre.com.br/LojaNaka. Dependendo da sua escolha, você precisará pagar para uma empresa terceirizada como LocaWeb, HostGator ou outras armazenarem as informações da sua loja virtual. Em 2019, seus serviços custavam em torno de R$ 500,00 por ano.

 

Pagamento em e-commerce

Meio de pagamento integrado

Meio de pagamento integrado é justamente a ferramenta de pagamento para os seus clientes comprarem na sua loja virtual sem que seu motoqueiro tenha que levar a sua maquininha de cartão para fazer a cobrança no ato da entrega. Há diversas empresas que oferecem essa facilidade, inclusive com a possibilidade do consumidor selecionar se prefere pagar em boleto ou cartão de crédito, à vista ou parcelado.

 

Plataforma para sua loja virtual

Aqui temos uma escolha delicada, pois existem diversas “pedras no caminho” para você tropeçar. Existem três tipos de plataformas: própria, sistema de loja virtual e plataforma de loja virtual.

O formato Próprio geralmente pode ser descartado logo de cara, pois consiste em você contratar programadores para criarem sua plataforma de forma bastante customizada. É de longe o formato mais caro e mais customizado, porém se torna obsoleto rapidamente, uma vez que você precisará contratar os mesmos programadores para criarem eventuais atualizações de design ou funcionalidades.

O sistema de loja virtual é um sistema pré-existente que você seleciona de acordo com suas necessidades. Ele é um pouco menos customizável que o modelo “Próprio”, necessita de programadores, entretanto são sistemas semipadronizados e podem ter um custo baixo, de aproximadamente R$ 5mil reais mais uma mensalidade em torno de R$ 500,00.

Já a plataforma de loja virtual é uma plataforma pronta para criar você mesmo a sua loja virtual. Ela é pouco customizável, mas tem a vantagem de ser rápida para implementar e ser mais barata, e até mesmo pós-paga, o que quer dizer que o pagamento é  somente de uma comissão após as vendas. Uma outra vantagem é ter um bom SEO (Search Engine Optimization – otimização para mecanismos de busca), por sua loja virtual estar linkada a todas as outras da mesma plataforma. Alguns exemplos são: Shopify, MercadoLivre, OLX, Rakuten, outros.

 

Capital inicial para investimento em tecnologia e produtos ou serviços

Não se assuste. Conforme vimos anteriormente, o investimento inicial para lojas virtuais podem ser tão pequenos quanto R$ 1 mil reais. Entretanto geralmente R$ 1mil não é suficiente para que sua loja virtual cresça e dê o retorno que você espera.

Pense que você vai precisar de dinheiro para montar sua loja virtual, talvez comprar os produtos, alugar um espaço para usar de estoque, comprar embalagens para os envios, e principalmente, fazer propaganda e marketing para evidenciar seus produtos e vendê-los. Lembre-se também que as vendas devem crescer aos poucos, então você precisará de dinheiro para bancar alguns meses de operação no prejuízo. Ah, e como a maioria das vendas são realizadas por cartão de crédito, se prepare para o fluxo de caixa, pois o recebimento dos valores das vendas deve vir apenas após 30dias da venda.

Embalagens e método de envio para seus produtos

Essa parte é importantíssima! Lembre-se de que ao comprar numa loja virtual, os consumidores estão buscando agilidade, praticidade e experiência, por isso a boa seleção das embalagens e dos métodos de envio são essenciais.

Embalagens

Lembre-se de procurar por embalagens bonitas, resistentes e baratas de acordo com seus produtos. Imagine que você quer vender vinhos pela internet, certamente suas embalagens precisarão ser mais elaboradas do que seu amigo que vende sapatos.

Ah, e não se esqueça de incluir o preço das embalagens no preço dos produtos!

Método de envio

Aqui no Brasil não tem muito como fugir dos Correios, pois ele é o único que chega em todos os 5.570 municípios do nosso querido país. Além dos correios, há diversos outros serviços semelhantes, portanto, escolha bem de acordo com os preços de frete, reclamações dos clientes e regiões em que cada um deles entrega bem ou mal. Hoje em dia há também a opção de fazer entregas rápidas ponto-a-ponto com esses aplicativos de carros ou motos, bastando chamá-los que eles vêm retirar e entregar o produto num raio de até 100km. Sem dúvida, uma opção muito prática.

Abrir uma loja virtual é complexo, mas não precisa ser difícil. Pesquise mais a fundo cada um desses temas supradiscutidos para reduzir os riscos do negócio e aumentar cada vez mais as chances de sucesso!

Boa sorte!

 

Escrito por: Dennis Nakamura

38, empreendedor cristão e bem-casado

Apaixonado por empreendedorismo, tecnologia e comida, quando mais novo, trabalhou de graça para aprender a cozinhar com o chef Tsuyoshi Murakami. Engenheiro financista por formação, criou uma ONG que já ajudou mais de 2,5 mil pessoas, melhorou a experiência do usuário como um dos gestores do e-commerce unicórnio Westwing.com.br e ajudou o iFood S/A a alcançar a marca dos bilhões por ano. Atualmente é palestrante e professor convidado para graduação, pós e MBA na Univ. Marília, Univ. Virtual do Paraná, Univ. Estadual do Centro Oeste, Uni.v de Manaus, Mackenzie, USP, Unicamp, Unesp, Unifesp e mentor de startups na Oracle Brasil e Bluefields Dev., além de sócio conselheiro de startups de HRTech, HealthTech, Foodtech, Simulação Robótica Avançada e investimentos além de curador em inovação para o SPTW da Prefeitura de SP

www.linkedin.com/in/dennisnakamura/

open

Reuniões, Eventos e Estações de Trabalho COTAR | RESERVAR

Política de Privacidade | Política de Cookies